Publicidade
Publicidade
Psicologia e Sonhos Como o sono ajuda o cérebro a se limpar

Como o sono ajuda o cérebro a se limpar

como usar imaginacao guiada para relaxar
Publicidade

A razão exata pela qual dormimos é um dos maiores mistérios da ciência moderna. Muitas teorias diferentes foram propostas, mas o fato é que ninguém sabe ao certo por que passamos cerca de um terço de nossas vidas dormindo.

Houve muita pesquisa mostrando como o sono ajuda a consolidar memórias e reparar o corpo, mas muitos cientistas acreditam que essas ações não explicam completamente o objetivo subjacente do sono, principalmente do ponto de vista evolutivo. Passar a maior parte de nossas vidas dormindo e vulnerável nos abre um grande perigo; muitos especialistas acreditam que deve haver uma razão mais convincente para dormirmos.

Uma das principais teorias do sono sugere que o sono é necessário para permitir que o cérebro se limpe e reinicie a partir das atividades do dia anterior. A pesquisa em camundongos apóia essa teoria.

Um estudo publicado em uma edição de 2013 da revista Science revelou que o sono dá ao cérebro a chance de se limpar. O estudo em si envolveu a análise do fluxo de fluidos no cérebro de ratos nos estados de vigília e sono.

Os pesquisadores se concentraram principalmente em como os fluidos fluem dentro do sistema linfático ou nos espaços entre os neurônios. Isso é como um sistema de eliminação de resíduos, limpando os resíduos que as células cerebrais geram ao executar tarefas normais.

Aumento do fluxo de fluidos nos cérebros adormecidos

No entanto, transportar esses resíduos requer muita energia, e os pesquisadores levantaram a hipótese de que o cérebro não seria capaz de suportar essas funções de limpeza e processar informações sensoriais ao mesmo tempo. Para testar essa idéia, o principal autor do estudo, Lulu Xie, passou dois anos treinando ratos para adormecer em um tipo de microscópio que permitiria aos pesquisadores observar o corante se movendo pelo tecido vivo.

Depois que a atividade do EEG confirmou que os camundongos estavam realmente dormindo, um corante verde foi injetado no líquido cefalorraquidiano. Meia hora depois, os ratos foram despertados e um corante vermelho foi injetado. Através desse processo, os pesquisadores foram capazes de observar os movimentos do corante verde e vermelho através do cérebro. O que eles observaram foi que, enquanto grandes quantidades de líquido cefalorraquidiano fluíam através do cérebro durante o sono, muito pouco movimento foi observado enquanto estava acordado.

Espaços entre células cerebrais aumentam durante o sono

Então, por que houve um fluxo de fluido tão maior durante os estados de sono em oposição aos estados de vigília? Os pesquisadores também observaram que os espaços intersticiais entre as células do cérebro se tornaram muito maiores durante o sono, permitindo que o fluido flua mais livremente. Esses canais aumentaram aproximadamente 60% durante o sono.

Os pesquisadores também descobriram que quando certas proteínas foram injetadas nos ratos, as proteínas foram eliminadas muito mais rapidamente durante o sono.

Possíveis implicações

“Essas descobertas têm implicações significativas no tratamento da doença do cérebro sujo como a doença de Alzheimer”, disse Maiken Nedergaard, um dos autores do estudo. “Compreender com precisão como e quando o cérebro ativa o sistema linfático e limpa os resíduos é um primeiro passo crítico nos esforços para modular potencialmente esse sistema e fazê-lo funcionar com mais eficiência”.

Os cientistas sabem há muito tempo que certas condições neurológicas, como demência, Alzheimer e derrame, estão todas associadas a distúrbios do sono. Segundo Nedergaard, esses resultados podem sugerir que a falta de sono pode desempenhar um papel causal nessas condições.

Agora que os pesquisadores identificaram esse processo de limpeza do cérebro, a esperança é que ele leve a novas pesquisas sobre como o processo funciona e o possível papel que ele pode desempenhar em condições neurológicas, como a doença de Alzheimer.

O estudo também destaca mais uma vez a importância do sono. “Isso pode abrir muito debate para os trabalhadores em turnos, que trabalham durante a noite”, disse Nedergaard à Science. “Você provavelmente desenvolve danos se não conseguir dormir.”

Publicidade

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Sair da versão mobile